Adicção e codependência: Atração fatal!“

Woman tearing up a pink paper heart.

Adictos são escravos dos seus atos insanos e pensamentos repetitivos
e controladores e codependentes também… Com o tempo,
acabamos por nos acostumar com a dor do controle, porque
existe nela uma segurança distorcida que nos é muito familiar.
Por isso, é mais fácil permanecermos no falso caminho daquilo
que achamos que já conhecemos, do que abrirmos mão de tudo
em busca do novo e do desconhecido, para, enfim, decidirmos
colocar um ponto final naquilo que nos machuca tanto. Só então
a recuperação torna-se possível para ambos.
Sabemos que a Codependência é a inabilidade de manter e
nutrir relacionamentos saudáveis com os outros e consigo mesmo.
Nos relacionamentos codependentes não existe a discussão
direta dos problemas. Inexiste uma expressão aberta dos sentimentos
e pensamentos, por que falta uma comunicação honesta e
franca como um todo, e perecemos com expectativas irrealistas,
falta de individualidade, desconfiança nos outros e em si mesmo.
Quem são eles? Onde vivem? O que fazem? Bem, isso parece uma
chamada do programa Globo Repórter, mas não é. É difícil denominar
um adicto ou um Codependente, porém, um fato absolutamente
inegável, é que eles se chocam o tempo todo entre si, na família, no trabalho,
e desculpe-me a sinceridade em dizer-lhes, ambos incomodam!
Existe algo que, obviamente não podemos negar: Adictos são
odiosamente inesquecíveis, olhando pelo prisma da questão de
uma maneira totalmente positiva. De fato, somos complicados,
mas ao mesmo tempo, também somos encantadores quando queremos.
Por outro lado, olhando-nos de uma maneira negativa, sabemos
muito bem que somos os piores quando assim decidimos
ser. Quando somos bons, somos ótimos, quando somos maus,
somos absolutamente perversos. Mas temos muitas coisas boas
adormecidas. Somos diamantes brutos a serem lapidados.
Adictos tornam-se inesquecíveis pelo trabalho que nos dão,
ou pelo afeto e orientação que pretendíamos lhe dar e não podemos,
por isso, nos frustramos tanto.
Um adicto na ativa em nossas vidas é algo instigante e desestabilizador.
Lidar com ele, realmente é uma loucura. Como diz a
“hilária” Narcisa: Aí que loucura!
Adictos são complicados pelo frágil e descontrolado aspecto
emocional e mental, mas mesmo assim, não conseguimos nos
desvencilhar deles pelo simples fato de amá-los desmedidamente.
Ao aproximarmos-nos de um adicto, sempre correremos o
risco de embarcarmos em uma aventura altamente perigosa e esgotante,
onde seremos sugados, sem piedade, por um rodamoinho
de emoções, se decidirmos acompanhá-los mais de perto.
O que de fato nunca poderemos negar é que sempre esbarraremos
em adictos andando livremente por aí! Podemos lidar anos
a fio com um adicto e só mais tarde percebermos o vasto estrago
que ele é capaz de fazer em nossas vidas!

Todo adicto na ativa é um prisioneiro do medo e os codependentes também.”

Por: Darléa Zacharias

Trecho do livro Inimigo Oculto, foco, força e fé

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s